Artigo: “ROI – no final das contas é o que conta”

0
1142

Neste artigo compartilho com vocês uma das maiores, se não a maior, lição da minha vida como empresário, que cada vez mais me ensina as diferenças e melhorias que podem ser feitas para as empresas com o apoio integral do departamento de segurança. O melhor profissional de segurança que já tive o prazer de conhecer se chama NIR e a me ensinou com a seguinte frase: “O departamento de segurança é o único departamento que todas as decisões influenciam nas demais áreas e departamentos da empresa”.

O departamento de segurança pode ser desde uma contratação de terceiros até um real departamento de Risco Corporativo. Existe um universo entre essas duas realidades, e este universo é simplesmente definido pelo entendimento e postura que a empresa tem frente ao serviço de segurança, que pode ser entendido desde “um custo” até “um valor agregado e retorno financeiro a empresa”.

O retorno ou entrega que podemos dar (eu me quero realmente usar esse verbo “dar”) a empresa é a força da abrangência da segurança. Podemos participar de todos os processos da empresa, desde contratações de pessoas, riscos e até de uma ação de marketing focada no público alvo ou mesmo na imagem que a empresa quer que tenha. Todas as participações nos processos são diferentes e tem sua peculiaridade e é aí que entra nosso ROI (Retorno sobre o investimento).

Todos os processos podem e devem ter a participação do departamento, com um ROI bem estruturado apresentando quais são os custos e onde em cada processo nós reduzimos e/ou maximizarmos o uso do investimento. Podemos realizar essa participação de várias formas, uma delas eu chamo de “colaboração ativa”, que é baseada na entrega de informações tratadas para os diferentes departamentos assim gerando uma troca e fluxo de informação necessário para melhores decisões corporativas. Esse tipo de participação/proposta requer um ROI robusto, pois irá apresentar e se relacionar com o ROI dos demais departamentos, requerendo muito cuidado e ótimo relacionamento também.

Infelizmente, ainda não chegamos a fase deste entendimento por meio das empresas, mas estamos caminhando para esta realidade. Cada realização feita pelo departamento apresenta uma certa abrangência e contato com os demais, que deve ser apresentada aos sete ventos e isso dará subsídio para o ROI. Nosso grande valor agregado está no departamento ao lado!

Nada está tão bom que não possa melhorar!

f2

FABIO TOMASPOLSKI – Brasileiro, naturalizado israelense, Comandante de Esquadrão na Reserva do Exército de Israel, Unidade de Engenharia de Combate. Especialista formado em segurança aeroportuária, aviação civil e segurança de dignitários pelo Serviço de Segurança de Israel (ISA). Atuou como Consultor do “Novo Projeto de Proteção do Presidente Panamenho” (Ricardo Martinelli) e construiu do projeto de segurança da família Krempl na Eslováquia. No Brasil, atua como consultor e gestor de projetos de segurança pessoal, patrimonial, inteligência, prevenção de perdas e compliance na “A Merkavah”. Tem como grande destaque criação e idealização do projeto de Prevenção de Perdas e Segurança de canteiros de obras da Tecnisa S.A., incluindo o Jardim das Perdizes.

Contato: fabio@amerkavah.com

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments

SHARE
Previous articleMoeda do Exército Brasileiro: a lembrança de todo bom combatente
Next articleArtigo da Semana: Análise de Risco
A Reserva Ativa é o primeiro portal de empregos e notícias para a família militar. Reúne milhares de vagas em todo o Brasil, além de diversas oportunidades profissionais e informações de interesse do público militar. Para parcerias e convênios: contato@reservaativa.com.br

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY

4 × dois =